E ra 26 de abril de 1986. Tudo ia bem na usina nuclear de Chernobyl, até que os operadores da usina ucraniana realizaram um experimento mal...

'Pata de elefante': o objeto mais perigoso do mundo

Era 26 de abril de 1986. Tudo ia bem na usina nuclear de Chernobyl, até que os operadores da usina ucraniana realizaram um experimento malsucedido com o reator 4, onde daria inicio a uma tragédia sem precedentes.





A intenção inicial era observar o comportamento do reator nuclear quando utilizado com baixos níveis de energia. Contudo, para que o teste fosse possível, os responsáveis pela unidade teriam que quebrar o cumprimento de uma série de regras de segurança indispensáveis. Foi nesse momento que uma enorme tragédia nuclear se desenhou no Leste Europeu.

Entre outros erros, os funcionários envolvidos no episódio interromperam a circulação do sistema hidráulico que controlava as temperaturas do reator. Com isso, mesmo operando com uma capacidade inferior, o reator entrou em um processo de superaquecimento incapaz de ser revertido. Em poucos instantes a formação de uma imensa bola de fogo anunciava a explosão do reator rico em Urânio-235, elemento químico de grande poder radioativo.

Só para você ter ideia, a quantidade de material radiativo liberado na explosão de Chernobyl foi pelo menos 100 vezes maior do que o material liberado nas explosões em Hiroshima e Nagasaki, durante o final da Segunda Guerra Mundial. A seguir, confira mais algumas curiosidades sinistras sobre a terrível história de Chernobyl:

Alguns fatos sobre o acidente: 

1 – Para conter a situação, cerca de 800 mil pessoas se arriscaram e acabaram se expondo à radiação. Dessas pessoas, 25 mil morreram e 70 mil ficaram com sequelas graves.

2 – Dessas 25 mil pessoas que morreram, 20% cometeram suicídio.

3 – De acordo com o Greenpeace, o acidente acabou provocando a morte por câncer de 93 mil pessoas em todo o mundo.

4 – Muitas pessoas acabaram voltando à região infectada com a intenção de receber benefícios do governo.

5 – 
O acidente em Chernobyl é o único que atingiu o nível 7 na Escala Internacional de Eventos Nucleares, o que o torna o maior acidente provocado pelo homem em toda a História.

Mas, e o "pé de elefante"?

Para tentar controlar o fogo gerado pela grande explosão, foi enviado ao local vários helicópteros, que despejaram toneladas de argila, areia e chumbo, sendo o último para tentar controlar a radiação e os demais para controlar o calor e o fogo. Porém, isso deu muito errado: o calor era tanto, que essa mistura toda derreteu, formando uma espécie de lava descontrolada e extremamente quente  bem como perigosa  que foi derretendo todos os pisos da edificação até chegar no ponto mais profundo do prédio  aonde está até hoje.



Ela foi descoberta muitos meses depois do ocorrido inicial e, sem saber do que se tratava ao certo, muitos cientistas morreram dias depois ao se aproximar para fotografá-la e estudá-la.

O seu nome se dá devido ao seu formato, que se assemelha à uma pata de elefante e, também, pelo seu peso, que estima-se em toneladas.

Também conhecida como Medusa Nuclear, ela 'matou' todos os robôs e danificou as câmeras que tentaram fotografá-la. 


Hoje a usina está lacrada e suas proximidades estão com a entrada totalmente proibida. Há projetos para uma construção sólida sobre a usina para que, um dia, a vida possa voltar a prosperar aos seus arredores. Porém, o local deve ficar contaminado pela radiação por milhares de anos.



Se gostou, por favor, deixa uma curtida! (=





Compartilhe este artigo!